Escolha uma Página

Poucas simplicidades são mais deliciosas e trabalhosas que secar a roupa no tempo. Secar a roupa ao Sol. Em meio ao balançar do vento. Cuidar para estender sem amassar. Cuidar para não marcar do grampo ou do próprio varal. Cuidar para não ficar tempo demais sob o Sol. Ou não pegar sereno.

A peça de roupa seca ao Sol emana um aroma inigualável. Um odor reconfortante. Será este o cheiro do Sol? O mesmo Sol que quara a roupa, também é o que desbota, o que mancha. É preciso deixar um olho no céu e o outro na roupa. Algo que demanda cuidado e dedicar de tempo. Não. A roupa seca ao ar livre não permite comodismos. Há que se dedicar. Há que estender. Há que cuidar. Há que recolher. E manter limpo o varal.

Vida é como roupa. Sempre precisa ser lavada e, algumas vezes, até amaciada. Uma vida bem cuidada não permite comodismos. Há que se manter um olho no céu e o outro na vida. E demanda tempo e cuidado. Mesmo que seja secada na máquina. Tem a quantidade certa. E, atenção! É recomendado não misturar. Existe peça que é mais delicada. Outras podem juntar bolinha. Sempre tem aquela que compartilha um pouco de cor com as outras, ainda que não seja o desejado. E nada de colocar na secadora aquela que amarrota do modo “preciso ser lavada de novo” se ficar muito tempo no processo de secagem.

A grande verdade é que mesmo sendo mais prático recorrer à máquina, a recomendação sempre é, se possível, secar a roupa ao Sol. Além de toda a economia de energia, até hoje não vi melhor brinquedo para entreter criança inquieta que grampos de roupa. Roupa balançando no vento também. E as sombras então… mas é preciso cuidar para não sujar as roupas durante a brincadeira. Mãos sujas e roupas limpas não costumam combinar.

Em períodos de maior frequência de chuva é preciso ser muito ligeiro. Cada tempinho seco precisa ser aproveitado. Como a vida é urgente. Mas mesmo que se tenha pressa, a roupa só seca no seu tempo. Pode-se até recorrer ao ferro de passar ou aos dutos da geladeira, o que aumenta bastante a conta de energia e diminui a vida útil do eletrodoméstico. Ainda não inventaram secagem instantânea. Não existe outra solução a não ser aguardar a roupa secar. Até secar no corpo vale, desde que se esteja disposto aos incômodos da roupa molhada. Agora o cheiro de vida secada ao Sol. Em meio ao balançar do vento. Estendida com cuidado. Seca no tempo. Emana um aroma inigualável. Só não vale esquecer de tirar do sereno, porque a roupa umedece de novo. A noite não foi feita para secar roupa. À noite, a roupa repousa.

Sou a Cris, Cristiane Souza, jornalista. Escritora desde sempre e poetisa por necessidade. Tenho livros infantis publicados desde 2014. Meu ideal é produzir literatura que auxilie e encante crianças em processo de alfabetização. Sou também revisora e editora e idealizadora do portal entreciclos e facilitadora em treinamentos e palestras.

Agradeço o seu compartilhamento e comentário!