Livro Valentina e os elementais

Livro Valentina e os elementais

Eu pergunto que tipo de livros ele gostaria de ler e sem pensar muito Seu Zé responde: histórias de seres fantásticos! – Esta frase marca o fim do capítulo 7 de Valentina e os elementais, Chiado editora, mas na minha opinião ela em muito define o conteúdo e a alma do livro e a intenção da autora. Narrar uma história de seres fantásticos!

Um texto claramente infantil. Num livro com roupagem que também atende bem o público juvenil. Usando como pano de fundo a viagem de uma menina para o rancho de seus tios, a autora Bárbara Malcut constrói uma narrativa que fala de fantasia e inteligência infantil, contato com a natureza, livre brincar e relacionamentos.

No trecho abaixo, por exemplo, Valentina faz deduções com o livre pensar e baseada no que ela observou e ouviu dos gnomos chega a uma conclusão. E como criança, não fica tirando a limpo, simplesmente acredita ter descoberto o segredo e ponto. Não vou aqui contar o final da história. Tampouco dar muitos spoilers. Mas vi esta mesma certeza sem necessidade de muitas provas e as crenças fantasiosas na aventura da cura do ancião e no desfecho da história.

valentina descoberta segredo

O livro não apresenta ilustrações em seu interior e a diagramação interna é bem tradicional. Ainda assim a fonte serifada facilita a leitura de quem ainda está no começo da leitura de livros com maior quantidade de texto. Eu o recomendaria para uma criança de 8 a 11 anos de idade. Mas dependendo da habilidade e prática com a leitura, além da maturidade, também acredito ser bastante recomendável para adolescentes. Nós, os adultos, também somos facilmente fisgados pela história mágica contatada e vivida pela personagem Valentina.

O livro como paradidático

Valentina e os elementais possui diversos conteúdos para educadores explorarem dentro e fora de sala de aula. Eu escolhi aqui alguns temas que ficaram bastante marcados para mim e que achei muito bem explorados pela autora.

Espaços compartilhados

No livro, a casa dos elementais é uma experiência diferente para Valentina. Em tempos de nova economia e espaços colaborativos este é um tema bastante interessante, sobretudo entre os adolescentes. Uma ferramenta para pensar os espaços públicos, as organizações sociais e o que mais surgir na conversa. E o vaga-lume então… metalinguagem.

valentina quarto gnomos

Realidade social, diferenças culturais e empatia

Estes assuntos são explorados em vários momentos do livro. Na figura e história de vida do caseiro, nas diferenças entre cidade e campo, também entre o mundo dos humanos e dos elementais. A empatia acontece naturalmente, na disposição da menina em entender estas diferentes realidades.

Valentina diferentes realidades

Os elementos da natureza, o brincar e as relações

Valentina é uma menina que se diverte sozinha. Que se diverte com os antigos amigos estreitando o relacionamento e demonstrando afeto por eles. E que se diverte com novos amigos. O exercício do brincar, sobretudo livremente e em meio a natureza, é uma característica que eu particularmente amo em livros infantis. Para as crianças que não podem experimentar esta realidade trazem algo de magia. E para aquelas que vivem alguma experiência em certa medida semelhante trazem a identificação. Além de em mim sempre despertar um sentimento de liberdade.

No livro, os elementais são seres racionais divididos em grupos conforme os elementos da natureza que têm como missão ajudarem as pessoas a se tornarem melhores. Só com este conteúdo já daria para trabalhar vários assuntos, como sustentabilidade do planeta e sentimentos e emoções nocivas e benéficas.

Este é um livro que eu amei ler e recomendo muito! Agora, um dos meus meninos o está lendo.

Se você se interessou, sugiro curtir a página do livro no facebook e acessar o site da autora, porque como grande parte das obras de autores da nossa cidade (Curitiba) não é exatamente fácil encontrar este livro em todas as livrarias, mas por meio do contato direto com a autora você pode saber onde encontrar e até adquirir exemplares com dedicatória. Eu particularmente ficarei de olho no trabalho deste menina talentosa que é a Bárbara Malcut, que escreveu sua primeira peça de teatro aos 12 anos e publicou seu primeiro livro literário aos 15. Uma escritora certamente apaixonada por esse universo que reside em meio às palavras.

http://www.barbaramalcut.com/

https://www.facebook.com/valentinaeoselementais

Sou a Cris, Cristiane Souza, escritora desde sempre e poetisa por necessidade. Tenho livros infantis publicados desde 2014. Meu ideal é produzir literatura que auxilie e encante crianças em processo de alfabetização. Sou também editora e idealizadora do portal entreciclos e facilitadora em treinamentos e palestras.
Livro Preguiça, coragem e outros bichos

Livro Preguiça, coragem e outros bichos

livro preguiça coragem e outros bichos

Coragem também é um bicho. Preguiça não é só o bicho-preguiça que bicho é, mas a preguiça de leseira também. E muitos outros bichos existem ainda. Pode ser tudo aquilo que nos pega, como um bicho. Foi ouvindo esta reflexão que conheci o livro Preguiça, coragem e outros bichos. E este discurso saiu da boca exatamente da autora, Priscila Prado, quando eu a conheci. Não tenho dúvidas, ter a oportunidade de saber mais sobre o processo de criação de um livro é uma experiência incrível. É um encontro de interpretações.

Mas não foi este discurso encantador que me fez escolher este livro para ser o primeiro a ilustrar a #palavralida aqui no site; nem o fato de ele ter sido finalista do prêmio Jabuti 2013 na categoria paradidáticos; mas a sensação que ele causou nos meus meninos. Eles ficaram fascinados pelo livro. Era uma disputa para ver quem podia ficar mais tempo com ele… um tal de esconder em baixo do travesseiro… na gaveta particular… que acabou que eu me rendi e fui comprar mais exemplares para cada um ter o seu.

A irmã caçula gostou de interagir colorindo o livro, mas não foi pega pelo livro como os meninos. O tal do livro do bicho pegou o meu trio de jeito e tornou-se, por um bom tempo, o objeto mais amado da casa. Nele havia um universo para ser explorado de muitas maneiras: pela leitura, pela escrita, pela pintura, pela curiosidade, pelo aprendizado, pela emoção. Onde o desenho de personagens de poemas do próprio livro dividem espaço com poesias escritas ainda com erros básicos de ortografia.

IMG_20160608_202954606

Penso cá comigo que coragem é o que não faltou para a autora, este bicho já deve ser de estimação, porque a obra é uma publicação lançada de modo independente, ou seja, investimento integral da autora, e pelo capricho e empenho, preguiça estava de férias quado o bicho da inspiração pegou Priscila.

Além da proposta da interatividade, o livro é a própria diversidade. Desde a escolha do tema, no formato dos poemas, na escolha das linguagens, até a ilustração. Oito ilustradores participaram do processo de criação do livro. Um conteúdo, realmente, muito rico e apaixonante. E para completar, o malandrinho ainda tem um site de conteúdos relacionados que continua a ser alimentado com sugestões de atividades e curiosidades. Este os meus filhos ainda não viram, mas muito em breve eu apresento pra eles.

Acabou que o livro que prometia conversar sobre bichos, tornou-se o próprio bicho, daqueles que te pega de jeito! E para fechar este primeiro relato de leitura, deixo pro próprio bicho encerrar, pois desavisada que fui, não notei o alerta estampado, já na contracapa. Portanto, que sirva de aviso a vocês, apesar de altamente recomendável, este bicho é de vício fácil.

IMG_20160608_203149194

Gostou? Siga a página do livro no facebook e acesse o site para saber mais sobre esta e outras obras da autora.

https://www.facebook.com/preguicacoragem/

http://preguicacoragem.com.br/

Sou a Cris, Cristiane Souza, escritora desde sempre e poetisa por necessidade. Tenho livros infantis publicados desde 2014. Sou também editora e idealizadora do portal Entreciclos.